AMIGOS DE PEIXES DESPORTIVOS DO MUNDO

quinta-feira, 30 de junho de 2011

A PARDELHA DOS ALPES - Rutilus rutilus (Linnaeus, 1758)


FAMILIA: ciprinídeos

LONGEVIDADE: 14 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 3m

COMPRIMENTO: 50 cm

PESO: 3,520kg

DISTRIBUIÇÃO: Europa.



BIOLOGIA: esta espécie de corpo largo e prateado possui olhos vermelhos, barbatanas peitorais avermelhadas, assim como as barbatanas pélvicas e anal e barbatana dorsal e caudal escuras. É das espécies mais populares entre os pescadores Europeus por ser muito comum e pela destreza necessária para a capturar. É um peixe gregário, como a maioria dos ciprinídeos forma grandes cardumes normalmente de peixes do mesmo tamanho, encontra-se com frequência em lagos e rios de toda Europa, com predominância de vegetação, pois também se alimenta de vários tipos de vegetação. Durante o inverno desloca-se para zonas de maior profundidade, reduzindo o seu metabolismo até meados de Abril. Época em que começa o cortejo, os seus ovos são amarelos e possuem uma seiva que lhes permite aderir-se a plantas e raizes até a sua eclosão.


ALIMENTAÇÃO: invertebrados, na pesca utiliza-se muito o asticot, o vert de vasse e pão françês.


MÉTODOS DE PESCA: á francesa, á inglesa, carpfishing.


VIDEO: paixão por um pequeno peixe.




RECORD IGFA: encontra-se em 3.520kg capturado por John Bailey no dia 25/06/2008 em Norfolk Estate Lakes, Inglaterra.

 CURIOSIDADES: apesar de não serem nada parecidas a Pardelha dos Alpes cruza-se com frequência com a Brema, dando origem a um híbrido entre esta duas espécies. Este híbrido porém já é fértil e pode acasalar com qualquer das duas espécies.

sábado, 18 de junho de 2011

O BORDALO - Squalius alburnoides


FAMILIA: ciprinídeos

LONGEVIDADE:

PROFUNDIDADE: 0 - 20m

COMPRIMENTO: 13cm

PESO: 0,600 kg


DISTRIBUIÇÃO: Europa, ríos Sado, Douro, Guadiana, Odiel, Guadalquivir.


BIOLOGIA: o esguio e prateado bordalo é uma das espécies mais pequenas de grande valor para os pescadores desportivos, vive normalmente em cardumes em ríos e lagos. Peixe de comportamento gregário bastante voraz que pode fazer as delícias de um dia de pesca. A sua época de reprodução está entre Abril e Maio, deposita os seus minúsculos ovos entre plantas áquaticas junto à margem. Encontra-se em estado vulnerável devido ao estado em que se encontram as águas do seu habitat, é um peixe bastante delicado em questões de pureza das águas. Pertence à família do Alburnete do
qual já fiz menção num articulo anterior, o bordalo é um dos peixes mais extraordinários dos nossos rios, sendo endémico da Península Ibérica, a sua origem é fascinante pois deve-se ao cruzamento de várias espécies entre as quais está o escalo.


ALIMENTAÇÃO: todo tipo de invertebrados, larvas de insectos e pequenos crustáceos. Para a sua pesca utiliza-se normalmente o asticot, vert de vasse e pequenas minhocas de terra, ou moscas.


MÉTODOS DE PESCA: inglesa, francesa, bolonhesa ou mosca.


VIDEO: a captura de um pequeno bordalo à mosca.



RECORD IGFA: não existe record para esta espécie. 

CURIOSIDADES: todos os bordalos são fêmeas, para reproduzir-se necesitam o esperma de outro peixe que se chama escalo.

 

EDITOR

A minha foto

Los que me conocen, saben quien soy...