AMIGOS DE PEIXES DESPORTIVOS DO MUNDO

segunda-feira, 28 de março de 2011

A MARUCA - Molva molva (Linnaeus, 1758)



FAMÍLIA: gadídeos

LONGEVIDADE: 25 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 400 m

COMPRIMENTO: 200 cm

PESO: 45 kg



DISTRIBUIÇÃO: noreste do Atlântico, desde el mar de Barents e Irlanda até Marrocos.



BIOLOGIA: a Maruca é uma das espécies de maior tamanho da família dos gadídeos. A sua presença é comun entre os destroços dos navios, durante a sua juventude podem ser capturados en águas superficiais, mas a sua juventude é rápida e ao atingir o kilo de peso desloca-se a águas entre os 50 - 400 m, daí resulta bastante compreensivel que as marucas capturadas de costa sejam bastante mais pequenas que as que são capturadas em alto mar. Vive normalmente en fundos rochosos, nos quais encontra refúgio. Como gadídeo a Maruca pertence à familia do Bacalhau, e como tal a sua carne é esquisita, daí a sua grande procura, devido à grande demanda a Maruca esteve em perigo de extinção, felizmente esse tempo já passou e hoje em dia a sua população encontra-se num nível estável. O seu estado de madurez é alcançado ao atingir os 90 - 100 cm. Embora seja muito parecido com o bacalhau a forma mais fácil de distinguir uma Maruca é pela pequena "barbinha" que têm no maxilar inferior e que lhe permite detectar presas que se encontram escondidas debaixo da areia como por exemplo os linguados, solhas etc.
                                                                     Cortesia de:               



ALIMENTAÇÃO: peixes do seu habitat, lagostas, caranguejos, lulas, polvos e chocos.



MÉTODOS DE PESCA: surfcasting, pesca embarcada.



                         ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE !!!



RECORD IGFA: encontra-se em 40,100 kg capturado por Gareth Laurenson no dia 04/05/2002 nas ilhas Shetland no Reino Unido.

domingo, 20 de março de 2011

A URTA - Pagrus auriga ( Valenciennes, 1843 )


FAMILIA: espárídeos

LONGEVIDADE: ?

PROFUNDIDADE: 0 - 170 m

COMPRIMENTO: 80 cm

PESO: 3 kg


DISTRIBUIÇÃO: a Urta está presente no Este do Oceano Atlântico, deste Portugal a Angola, passando pelo Mediterrâneo, Madeira e Ilhas Canárias.



BIOLOGIA: um mariscador nato, a Urta ( Pargo ruço) é um dos mais belos peixes do nosso mar, a morfologia da Urta adulta é de um corpo oval, achatado e alongado, com listas vermelhas e com manchas pretas na metade superior, têm uma mandíbula poderosa provida de quatro grandes caninos cilíndricos na parte superior e seis na parte inferior, além de poderosas linhas de molares, embora seja totalmente diferente em espécimes juvenis, que apresentam um corpo mais alto e onde se destacam os primeiros raios espinhosos da barbatana dorsal, no corpo têm como base umas listas vermelhas no sentido transversal.


Chegando até mesmo a parecer durante muitos anos que são de espécies distintas. Habita em fundos rochosos, zonas de coral com misto de algas, onde abundam cefalópedos e todo tipo de crustáceos, que formam a base da sua dieta alimentar. Como curiosidade destaco o hermafrodismo da espécie, As pequenas Urtas nascem fêmeas e com o tempo tornam-se em machos, estes grandes exemplares, tendem a tornar-se solitários, ao contrario dos juvenis que vivem em cardumes por uma questão de subervivência. A sua picada têm por costume ser bastante violenta, não é um peixe que te deixe sem linha no carrete no entanto a sua luta é titânica, e sim te deixará o braço vazio.

                                                                           Cortesia de:


ALIMENTAÇÃO: em relação à alimentação, também à uma marcada diferença entre os juvenis e os adultos, já que os últimos se alimentam basicamente de ouriços do mar, todo tipo de caranguejos (em especial os heremitas), pequenos polvos, lulas e chocos, não desperdiçando também qualquer peixe pequeno de outra espécie, sem dúvida alguma que se trata de um grande predador. Os juvenis podemos pescar com quase todo o tipo de isco, desde lagostins pequenos até à minhoca americana e claro com caranguejos pequenos.


MÉTODOS DE PESCA: jigging, ao fundo.



                         ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE !!!


RECORD IGFA: encontra-se em 3 kg capturada por Serge Bensa no dia 03/09/1986 em Nouadhibou, Mauritânia.

domingo, 13 de março de 2011

O QUEENSLAND LUNGFISH - Neoceratodus forsteri (Krefft, 1870)



FAMILIA: ceratodontideos

LONGEVIDADE: 65 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 10 m

COMPRIMENTO: 1,50 cm

PESO: 40 kg



DISTRIBUIÇÃO: Austrália, Queensland.




BIOLOGIA: habita normalmente em fundos de lodo, areia ou gravilha, é sem dúvida um peixe "estranho". Prefere águas calmas e poças profundas, durante os periodos de sequia o seu comportamento torna-se algo extraordinário, ao não tolerar baixos nível de oxigénio vem à superfície uma ou duas vezes por hora para respirar "ar". Durante a noite o som provocado pelos seus pulmões ao respirar é tão característico que muitos pescadores conseguem descubrir o local onde se encontra seguindo o som. Está protegido por lei, visto que esta extraordinária criatura permanece inalteravél há mais de 380 milhões de anos. Foram encontrados restos fóssilizados no sul de Nova Gales. Estudios realizados pela Universidade de Queensland, provaram que o Lungfish é o parente mais próximo dos primeiros vertebrados terrestres, analisando as retinas deste peixe descobrirão que podia ver em cores.(Coisa que os peixes não podem, mas isto já voçês sabem). Esta maravilha é o único sobrevivente do género Neoceratodus existente hoje em dia.



ALIMENTAÇÃO: é omnívoro e come desde plantas aquáticas, passando por frutos, caranguejos, peixe, rãs, minhocas de terra, caracóis ou camarão.


MÉTODOS DE PESCA: carpfishing, spinning, baitcasting, à bóia e à mosca.





                             ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE !!!


RECORD IGFA:  ?

terça-feira, 8 de março de 2011

A PERCA DA SELVA - Kuhlia rupestris (Lacepède, 1802)



FAMILIA:  kulídeos

LONGEVIDADE: ?

PROFUNDIDADE: 0 - 50 m

COMPRIMENTO: 50 cm

PESO: 3 kg


DISTRIBUIÇÃO: Austrália, Nova Caledónia, Ilhas Fiji e África do sul.


BIOLOGIA: a perca da selva pertence a uma pequena familía de peixes semelhantes à dos centrarquídeos da América do Norte. Esta espécie é prateada com manchas características de um tom castanho avermelhado e manchas negras na segunda barbatada dorsal e em ambos lóbulos da caudal. Vive em pequenos rios de águas rápidas e transparentes. Encontra-se também nas correntes costeiras da zona oriental de Queensland e está também abundantemente distribuída pela região tropical indo-pacífica. Na época da reprodução abandona os rios e lagos e  emigra para estuários costeiros até que se produz o nascimento dos alevins. Prefere zonas com abundante vegetação onde se oculta para poder caçar e proteger-se dos seus predadores. Devido à sua exuberante beleza é utilizada para fins decorativos em aquàrios. Na Austrália a sua pesca a nível desportivo está em tão alto grau de satisfação como nos Estados Unidos a captura de um bom Achigã.


                                                            Cortesia de C. Matt.   



ALIMENTAÇÃO: alimenta-se sobretudo de insectos, fruta, caranguejos e peixe. Porém é considerado um peixe omnívoro, por isso na pesca pode ser tentado com inumeráveis iscos.


MÉTODOS DE PESCA: spinning, carpfishing, à bóia, à mosca, baitcasting, surfcasting.





                               ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE !!!




RECORD IGFA:  ?

EDITOR

A minha foto

Los que me conocen, saben quien soy...