AMIGOS DE PEIXES DESPORTIVOS DO MUNDO

segunda-feira, 27 de maio de 2013

A TREMELGA DO ATLÂNTICO - Torpedo torpedo (Linnaeus, 1758)



FAMÍLIA: rajiídeos

LONGEVIDADE: ?

PROFUNDIDADE: 400m

COMPRIMENTO: 1,5m

PESO: 20kg

DISTRIBUIÇÃO: este do Oceano Atlântico, Baía de Biscaia e por todo o Meditêrraneo até Angola.



BIOLOGIA: as raias propriamente ditas são membros dos raiídeos que compreende cerca de 100 espécies e é a maior família dentro da orden dos raiformes. A maior parte das raias são de um côr castanha mosqueada com a parte inferior esbranquiçada e as caudas são relativamente grossas. Durante o dia, costumam repousar no fundo, ficando parcialmente enterradas na areia ou lodo. Tornando-se muito mais activas durante a noite, altura em que se alimentam. A raia em questão é talvez a mais perigosa que se pode encontrar numa noite de pesca, salvo conhecimento da espécie. Este bichinho pode produzir uma descarga elétrica de 200 volts. Suficiente para mandar ao pescador incauto para o hospital ou pior. Conhecem-se cerca de 35 espécies de tremelgas com órgãos elétricos, esta é uma das mais perigosas, a raia no seu habitat natural efectua a captura das suas presas enrolando a "victima" nas suas barbatanas peitorais e efectua descargas elétricas até matar ou aturdir a presa, estas descargas são produzidas pelos blocos musculares que existem a cada lado da cabeça. A tremelga nasce com 9cm e com este tamanho já têm a capacidade de descarga de  200 volts, por isso se virem na praia este bichinho tão bonito lembrem-se do velho ditado. "Mais vale pervenir que remediar".


                                                                         Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: anélidos, crustáceos, peixe.

MÉTODOS DE PESCA: surfcasting, pesca embarcada, spinning, jigging, à mosca.

VIDEO: uma tremalga no seu habitat.



RECORD IGFA: encontra-se em

CURIOSIDADES: na ordem dos raiformes a grande diferença da família raiídeos é que na maior parte das famílias os ovos são fertilizados e eclodem dentro do corpo da fêmea; no caso dos raiídeos os ovos fertilizados internamente são expulsos antes da eclosão.

                                                  HOMENAGEM AOS AMIGOS

terça-feira, 21 de maio de 2013

O BARBO "CIGANO" - Luciobarbus sclateri (Günther, 1868)


FAMÍLIA: ciprinídeos.

LONGEVIDADE: 18 anos.

PROFUNDIDADE: 0 - 20m.

COMPRIMENTO: 1m.

PESO: 8kg

DISTRIBUIÇÃO: Europa, principalmente sul de Espanha e Portugal, nos rios Segura, Vélez e Mira, Seixe e Arade.


BIOLOGIA: possivelmente o mais bonito dos barbos, e o mais fácil de identificar devido ao ventre de côr amarelo ou laranja que identifica esta espécie. O barbo cigano ou "gitano" como é vulgarmente chamado pelos "nuestros hermanos". As fêmeas alcançam fácilmente os 40 cm, já foram pescados muitos exemplares com medidas por cima do metro de comprimento. Os machos são mais pequenos e na época da desova mostram como a maioria dos barbos tubérculos nasais. As côres vão desde o verde azeitona ao amarelo-laranja. Como todos os barbos são uma verdadeira delícia para pescar, neste caso em particular, não só pela magnífica luta que dão mas também pelo bonitos que são estes peixes. Na Andalucía (Espanha) o barbo "sclateri" sofre uma grande mortandade devido à péssima costume que têm esta espécie de habitar pequenos lagos formados pelas enchentes dos rios, durante o verão devido ao calor extremo desta provincía os lagos secam com consequente morte de milhares destes belos barbos.

                                                                       Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: vegetação aquática, insectos, anélidos, crustáceos e peixe.

MÉTODOS DE PESCA: carpfishing, bolonhesa, francesa, inglesa, spinning, mosca.

CURIOSIDADES: estes peixes são uma espécie própria da Peninsula Ibérica, não existem em mais lugar nenhum do mundo.

                                                           CAPTURA E SOLTA



O BARBO COMÚN - Luciobarbus bocagei (Steindachner, 1864)



FAMÍLIA: ciprinídeos

LONGEVIDADE: 11 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 30m

COMPRIMENTO: 80cm

PESO: 9kg

DISTRIBUIÇÃO: Europa. 



BIOLOGIA: o corpo hidrodinâmico e o ventre achatado do barbo, ajudam-no a manter-se junto ao fundo do rio, onde se alimenta. Apesar de preferir águas de correntes rápidas também pode sobreviver em barragens ou lagos. A sua boca está rodeada de quatro barbilhos (de onde vem o seu nome); estes barbilhos estão equipados com células gustativas e tácteis que funcionam como línguas externas com os quais o peixe pode examinar possíveis alimentos. A região dorsal normalmente é castanho-esverdeado, o ventre branco ou avermelhado. Os juvenis apresentam manchas escuras na zona dorsal que desaparecem ao atingir o estado adulto. Na época nupcial ou de reprodução os machos apresentam uns tubérculos na zona do focinho.

 É um adversário maravilhoso e nobre, a sua luta é das mais emocionantes que se podem gozar em água doce, as suas arrancadas ou sentir-se capturado são épicas e somente quando já não lhe restam forças é que se dá por vencido. A força da sua luta está comparada com a de um salmão de igual peso e tamanho!!



ALIMENTAÇÃO: vegetação aquática, insectos, crustáceos, minhocas e peixe.

MÉTODOS DE PESCA: carpfishing, bolonhesa, inglesa, francesa, mosca.

RECORD IGFA: encontra-se em 6,120kg capturado por Eric Charles Roberts em St. Patrick´s Stream, Bershire, Inglaterra, no dia 29 de dezembro de 2004.

CURIOSIDADES: as fêmeas escavam um sulco onde depositam os ovos. Ingerem areia o que ajuda à digestão dos alimentos. Realizam migrações pré-reprodutivas para zonas lóticas. Efectuam pequenas migrações para cursos de água com o fundo de cascalho, com águas correntes e límpidas onde realiza a postura.

                                                             CAPTURA E SOLTA


quinta-feira, 9 de maio de 2013

A TRUTA DOURADA - Oncorhynchus aguabonita (Jordan, 1892)



FAMÍLIA: salmonídeos

LONGEVIDADE: 7 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 100m

COMPRIMENTO: 70 cm

PESO: 5kg

DISTRIBUIÇÃO: América do Norte sobretudo nas montanhas nevadas de Califórnia.



BIOLOGIA: a bela truta dourada é natural de grande altitude, no rio Kren nas montanhas da Serra nevada da Califórnia. Conserva as sua côres juvenis durante toda a vida, por esse facto é sem dúvida a truta mais bonita de todas. Mas não por isso deixa de ser menos combativa que os outros exemplares da sua espécie. Só habita em rios de alta montanha com àguas frias e cristalinas, mas também pode ser encontrada em lagos que se situem a mais de 2.100 metros de altitude. A captura de um exemplar de proproções iguais à da foto é simplesmente épica. Até existe uma espressão para os pescadores que conseguem tal cometido. "Tenho um bilhete dourado para o céu". Assim é como qualquer pescador americano diz a outro que capturou um truta dourada de um tamanho extraordinário.



ALIMENTAÇÃO: todo tipo de insectos do seu habitat, crustáceos y anélidos, ao atingir a idade madura também se alimenta de peixes.

MÉTODOS DE PESCA: à mosca, spinning, à bóia, corrico, jigging.

VIDEO: um paraiso terrestre, assim se poderia classificar o habitat da truta dourada.



RECORD IGFA: encontra-se em 4,980kg capturada por Chas Reed no dia 05/08/1948 no lago Cooks em Wyoming, USA.

CURIOSIDADES: é a única truta que enterra os seus ovos, em ninhos subterrâneos, uma forma muito inteligente de manter a sua prole a salvo até a éclosão.

terça-feira, 7 de maio de 2013

A TRUTA DE CLARK - Oncorhynchus clarki (Richardson, 1836)



FAMÍLIA: salmonídeos

LONGEVIDADE: 10 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 200m

COMPRIMENTO: 1m

PESO: 18kg

DISTRIBUIÇÃO: Este do Oceano Pacífico, Califórnia e norte dos Estados Unidos.



BIOLOGIA: da variada família das trutas a truta de clark é a única que têm o corpo verde, esta tonalidade combina com um mosqueado de pintas negras que lhe permite uma magnífica camuflagem. Embora a tonalidade possa mudar a única coisa que nunca muda é a meia lua vermelha que se encontra debaixo do maxilar inferior, por vezes também possui uma ligeira linha de côr cobre ao longo do flanco. A forma migratória costeira apresenta um dorso verde e flancos prateados ou verde-azeitona. Esta não é a típica truta de montanha que se pode pescar à mosca com equipamento ligeiro, trata-se de um verdadeiro colosso da família das trutas.


                                                                      Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: muito variada, mas sobertudo de pequenos insectos, larvas, caracóis e ao atingir um estado adulto, qualquer animal do seu habitat.

MÉTODOS DE PESCA: mosca, spinning, à deriva, corrico.

VIDEO: uma pequena amostra da pesca desta truta e dos paraísos onde ela habita.



RECORD IGFA: encontra-se em 18,590kg capturada por John Skimmerhorn no dia 01/12/1925 no lago Pyramid em Nevada, EUA.

CURIOSIDADES: devido à enorme variedade de côres que esta truta consegue adaptar dependendo do habitat, a única côr (vermelha) que sempre permanece é a forma de meia lua que se encontra debaixo do maxilar inferior, daí ser conhecida nos EUA como "red throated" truta de garganta vermelha.

EDITOR

A minha foto

Los que me conocen, saben quien soy...