AMIGOS DE PEIXES DESPORTIVOS DO MUNDO

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A TABARANA - Salminus hilarii (Valenciennes,1850)




FAMÍLIA: characídeos.

LONGEVIDADE:

PROFUNDIDADE: 0 - 30m.

COMPRIMENTO: 50cm.

PESO: 5 kg.

DISTRIBUIÇÃO: originário de América do Sul, bacias dos ríos Paraná, Amazonas, Orinoco, Magdalena e São Francisco e ríos do Equador.



BIOLOGIA: é um peixe prateado, chamado normalmente de Tabarana ou Tubarana e é a espécie que apresenta a maior distribuição geográfica dentro da aréa do género Salminus. Devido à enorme semelhança com o dourado (salminus brasiliensis) é também chamado na pesca desportiva de dourado branco. Un dos peixes mais combativos em água doce, o Tabarana é uma presa muito procurada pelos pescadores desportivos de água doce exactamente pela sua luta, durante o combate pela liberdade dá grandes saltos fora de água com cabeças agressivas com a intenção de libertar-se do anzol. Perfere zonas com fortes correntes, pois é um nadador nato. Como alimento é um peixe muito saboroso, sempre procurado pelos nativos.



ALIMENTAÇÃO: peixes de seu hábitat.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca.

VIDEO: um pequeño exemplo da pesca da Tabarana com artificiais.



RECORD IGFA: 


                                                                CAPTURA E SOLTA

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A PIRANHA NEGRA - Serrasalmus rhombeus (Linnaeus, 1766)



FAMÍLIA: characídeos

LONGEVIDADE:

PROFUNDIDADE: 0 - 20m.

COMPRIMENTO: 50cm.

PESO: 3kg.

DISTRIBUIÇÃO: Àmerica do Sul, rio Amazonas e Orinoco.

BIOLOGIA: a piranha negra ou piranha de olho vermelho é um dos carniceiros mais incriveis que podemos encontrar no reino da pesca desportiva. Durante a sua fase juvenil o seu comportamento de caça é simplesmente atroz, ataca as suas presas modendo-lhes as barbatanas com a finalidade de incapacitar a sua possibilidade de natação, pasando a continuação a atacar o ventre destas para depois terminar com a "victima". Este singular peixe pertence à familia dos characídeos, no entanto não é a temivel piranha devoradora de todo ser vivo que entre no seu reino. Com esta podemos gozar de uma boa luta com material desportivo ligeiro. Além de superar com diferença o tamaño e peso da sua prima é um peixe combativo. Vive em águas rápidas, mas também pode ser capturada em zonas profundas de grandes ríos, é essencialmente carnívora, no entanto o seu comportamento é bastante tímido e evita confrontações, mas possui um formidável dentição capaz de fazer inveja a qualquer carnívoro. Vive em àguas rápidas mas também pode ser capturada em poças profundas, o seu comportamento permite-lhe adaptar-se a varios cenários de pesca.


                                                                          Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: insectos, lagostins de río ou peixe do seu habitat.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, bóia, corrico.

VIDEO: a pesca da piranha negra.



RECORD IGFA: encontra-se em 3,083kg capturada por Russell Jensen no dia 10 de fevereiro de 2009 em Jatapo, Amazonas, Brasil.

CURIOSIDADES: devido à grande capacidade de adaptação a piranha negra é utilizada em muitos países como peixe decorativo em aquários de grandes dimensões.


                                                              HOMENAGEM AOS AMIGOS

domingo, 22 de setembro de 2013

A CATLA - Catla catla (Hamilton, 1822)

 


FAMÍLIA: ciprinídeos.

LONGEVIDADE: ?

PROFUNDIDADE: 0 - 30m.

COMPRIMENTO: 3m.

PESO: 80kg.

DISTRIBUIÇÃO: Ásia, Pakistão, Indía, Nepal e Myanmar e Tailândia.

 


BIOLOGIA: um peixe de aço, a carpa India como normalmente é conhecida ou Catla, é um ciprinídeo da familia das carpas, porém com uns pequenos "aditivos" que a fazem um peixe de récordes!! Os adultos vivem em rios, lagos e também são criados em catividade. É um peixe colossal, robusto, e com um poder natatório descomunal. Alimenta-se em superficie e meias àguas.

                                                                   Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: pequenos insectos, plantas, crustáceos.

MÉTODOS DE PESCA: carpfishing, bóia.

VIDEO: uma luta titanica!!



RECORD IGFA: encontra-se em 18.900kg capturada por Gerhard Posch no dia 23 de Dezembro de 2011 em Palm Tree Lagoon, Ratchaburi, Thailand.

CURIOSIDADES: como alimento é um peixe saboroso e a sua carne é composta de:19,2% de proteína, um 5% de gordura e um 70% de àgua, um peixe super compacto!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

O BARBO COMIZO - Luciobarbus comizo (Steindachner, 1864)




FAMÍLIA: ciprinídeos.

LONGEVIDADE:

PROFUNDIDADE: 0 - 30m.

COMPRIMENTO: 1m.

PESO: 20kg.

DISTRIBUIÇÃO: Europa, Portugal e Espanha principalmente.


BIOLOGIA: foi classificado pela primeira vez no ano 1865 por Steindachner. A sua principal caracteristica é a enorme cabeça que possui acompanhada de um enorme focinho, o colorido pode variar dependendo do habitat, porém costuma oscilar entre o branco prateado e o cinzento escuro.
Habita os cursos médios e baixos dos rios, prefere zonas com abundante vegetação onde se pode esconder e passar desapercebido, porque o comizo ao atingir certo tamanho também é um hábil perdador que se alimenta de peixes e outros animais do seu habitat. Também se pode encontrar em barragens embora seja com menos frequência. O barbo comizo como a maioria dos ciprinídeos come por aspiração, neste caso este é o individuo da família dos barbos melhor adaptado para tal função, pois a sua boca está na terminação de um "focinho" extremamente largo. É esta particularidade que o destaca da maioria dos barbos. Como adversário nas artes da pesca é simplesmente estraordinário, como todos os barbos luta até estar completamente exausto, com a particularidade que este atinge tamanhos e pesos de sonho. O comizo como a maioria dos ciprinídeos têm um comportamento gregário durante a sua fase juvenil porém ao atingir uns 60-70cm torna-se solitário e é muito raro vê-lo em companhia de outros barbos da sua espécie a não ser na época de desova. Altura esta que como uma prole de salmões subem o rio que os vio nascer para hacer acto de uma das mais belas imagéns da natureza. Devido à poluição e outros danos ambientais, a sua população foi dizimada pouco a pouco e agora encontra-se entre as espécies protegidas.

                                                                      Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: insectos, invertebrados, crustáceos, peixe e pequenas aves.

MÉTODOS DE PESCA: carpfishing, bolonhesa, spinning, inglesa, mosca.

RECORD IGFA: encontra-se em 6,950kg capturado por Stan Nabozny no ria Guadiana, Espanha no dia 26/10/2009.

CURIOSIDADES: no ano 1935 foi capturado o que até hoje continua a ser o maior barbo comizo da história, no rio Guadiana (Daimiel) foi capturado por Lozano Rey um barbo comizo com 1,63cm de longitude total.


                                                     HOMENAGEM AOS AMIGOS






















sexta-feira, 13 de setembro de 2013

O VELEIRO DO PACÍFICO - Istiophorus platypterus (Shaw, 1792)




FAMÍLIA: istioforídeos.

LONGEVIDADE: 13 anos.

PROFUNDIDADE: 0 - 200m.

COMPRIMENTO: 300cm.

PESO: 110kg.

DISTRIBUIÇÃO: oceano Indo-Pacífico, também entra no Mediterrâneo através do Mar vermelho e Canal de Suez.




BIOLOGIA: existem pocos peixes neste mundo que possuam as qualidades do veleiro, tenacidade, beleza, rapidez, fúria, etc etc. A lista seria longa, é daqueles peixes que só de pensar na sua captura qualquer pescador sonha e fica com pele de galinha. O veleiro é um dos mais rápidos predadores dos nossos mares, um animal único e soberbo!! Infelizmente é uma pesca que não está ao alcance de todos. O veleiro do Atlântico e o do Pacífico estão classificados como pertencendo à mesma espécie, porém a realidade é bem diferente, a variedade do Pacífico é de longe a mais pesada e a mais grande. A do Atlântico apenas alcança os 58kg e os 250cm de longitude. É um peixe que ataca normalmente em cardume, obrigando os peixes a formar a famosa "bola de peixe" para depois com ataques rápidos e fulminantes alimentar-se das suas presas. Gostam de viver por cima do termoclima, mas se a necessidade obriga deslocam-se com facilidade a grandes profundidades para alimentar-se de um dos seus manjares favoritos, as lulas.

                                           
                                                                        Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: peixes, crustáceos e cefalópodes.

MÉTODOS DE PESCA: corrico, pesca embarcada, à mosca.

VIDEO: um pequeno video onde apenas podemos vislumbrar a potência deste magnífico animal.



RECORD IGFA: encontra-se em 100,024kg capturado por Carl Stewart na ilha de Santa Cruz, Equador no dia 12 de fevereiro de 1947.

CURIOSIDADES: a espinha dorsal que lhe dá o nome, "veleiro" é enorme e o raio mais comprido é cerca de 150% do tamanho longitudinal do seu corpo.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

O MANGROVE JACK - Lutjanus argentimaculatus (Forsskål, 1775)

 




FAMÍLIA: lucianídeos.

LONGEVIDADE: 39anos.

PROFUNDIDADE: 0 - 120m.

COMPRIMENTO: 1,50cm.

PESO: 14,500kg.

DISTRIBUIÇÃO: Oceano Pacífico, desde África até Samôa, Austrália e Canal do Suez.



BIOLOGIA: habita normalmente em manglares, (a origem do seu nome), jovens e adultos vivem com bastante facilidade em àguas salobres, alguns sobem mesmo até fontes de água doce como rios ou riachos, eventualmente emigram para o mar, buscando zonas de arrecifes com profundidades de 100m. É uma espécie maioritáriamente nocturna, embora também tenha actividade durante o dia. A sua côr varia desde um brilhante vermelho-acastanhado a uma côr de azeitona-castanha dependendo do habitat. Na sua fase juvenil possuem uma linda linha azul debaixo dos olhos, em algumas e raras ocasiões esta linha manten-se mesmo no estado adulto. É muitas vezes confundido com o (Lutjanus bohar) o Red Jack devido à semelhança de tamanho e côr. Em Hong Kong por exemplo é normal encontrar este peixe em aquários, pois é considerado um peixe ornamental, além claro de ser uma excelente fonte de alimento, porque a sua carne é esquisita. O mangrove jack é um peixe agressivo e a sua pesca é muito adictiva devido ao valor que sempre põe na sua luta.

                                                                          Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: crustáceos e peixe.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, jigging, currico, pesca embarcada.

VIDEO: a pesca do mangrove jack.




RECORD IGFA: encontra-se em

CURIOSIDADES: no Indo-Pacífico existe uma importante indústria de águacultura desta espécie devido à facilidade a que se adapta a àguas com pouca exigência de oxigénio.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O BESUGO - Pagellus acarne (Risso, 1827)



FAMÍLIA: esparídeos.

LONGEVIDADE:

PROFUNDIDADE: 0 - 500mts.

COMPRIMENTO: 0,36cm.

PESO: 2kg

DISTRIBUIÇÃO: Oceano Atlântico e Mediterrâneo, Baía de Biscaía até ao Senegal, também na Madeira, Açôres e Ilhas Canárias.



BIOLOGIA: os adultos habitam vários tipos de fundo, especialmente fundos com algas e areia. Porém durante o estado juvenil encontram-se com facilidade junto à costa, o besugo é um peixe que come de tudo e mais alguma coisa, não é nada esquesito com o isco. É um peixe gregário que normalmente se encontra em cardumes, por isso se capturarem um besugo é muito provável que não seja o único na zona. Durante a fase juvenil são um autêntico calvário para os pescadores de surfcasting, pois eliminam qualquer isco dos anzóis rápidamente sem deixar sinal da sua presença. O besugo é um peixe delicioso, a sua carne é simplesmente maravilhosa. A sua picada é franca e a luta bastante decidida para um peixe do seu tamanho, os maiores exemplares capturam-se normalmente no alto mar, mas isso não quer dizer que desde costa não se possam conseguir excelentes exemplares.




ALIMENTAÇÃO: milhocas, moluscos, pequenos crustáceos e peixes de pequeno tamanho.

MÉTODOS DE PESCA: pesca embarcada, surfcasting, à bóia.

VIDEO: pesca embarcada aos besugos e outras espécies.



RECORD IGFA: encontra-se em

CURIOSIDADES: o besugo é um peixe de disposição barométrica, quanto maior fôr o seu tamanho maior profundidade procura, por essa razão as melhores capturas se realizam no alto mar.


                                                          HOMENAGEM AOS AMIGOS


Nota do autor: os meus agradecimentos ao Mestre Vitor Lopes que sem ele e a sua embarcação Carmi estas imagens não seriam possiveis.

terça-feira, 23 de julho de 2013

O CHUB - Squalius cephalus (Linnaeus, 1758)




FAMÍLIA: ciprinídeos.

LONGEVIDADE: 22 anos.

PROFUNDIDADE: 0 - 30m

COMPRIMENTO: 60cm.

PESO: 8kg

DISTRIBUIÇÃO: europa e ásia.

BIOLOGIA: o chub também conhecido como bagre em alguns paises é um peixe da familía dos ciprinídeos pouco conhecido. Com um corpo alargado e uma cauda vigorosa e larga o chub é um peixe crescido para nadar, normalmente de côr prateada e com a particularidade de ter as barbatanas anal e pélvica de côr vermelha, embora dependendo das águas onde habite esta côr pode mudar até um côr de laranja ou amarelo.O chub é dos poucos peixes da familía dos ciprinídeos que se podem capturar com equipamento de predador, sem ser por casualidade. Habita em águas claras e correntes embora também se adapte a lagos ou barragens desde que a cualidade das águas seja boa. É um peixe rápido com uma picada sincera, parecida com a de um barbo. Como a maioria dos peixes durante a sua fase juvenil desloca-se em cardumes para sua protecção, mas ao atingir um estado "adulto" normalmente converte-se num peixe solitário que só se reune em cardume na época do acasalamento.

                                                                        Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO:  artrópodos e pequenos peixes.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, carpfishing, mosca, inglesa, bolonhesa, à francesa.

VIDEO: um pequeno video da pesca do chub.



RECORD IGFA: encontra-se em 3,050kg capturado por Dieter Lindenmann no rio Rhein na Alemanha, no dia 14 de dezembro de 2009.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

A CORVINATA REAL - Cynoscion regalis (Bloch & Schneider, 1801)



FAMÍLIA: escienídeos.

LONGEVIDADE:

PROFUNDIDADE: 0 - 30m.

COMPRIMENTO: 1m.

PESO: 8.900kg

DISTRIBUIÇÃO: Nova Escócia, Canadá e Flórida, EUA.



BIOLOGIA: uma das mais bonitas corvinas da familía dos escienídeos, também conhecida como peixe frágil devido à fragilidade da sua boca, que se rasga com facilidade quando ferrada. Formam pequenos cardumes em águas superficiais de fundos arenosos e alimentam-se no fundo e a meias águas. Na época do acasalamento deslocam-se para estuários para desovar, este acontecimento dá-se desde o principio da primavera até finais do verão. As fêmeas com cerca de 22cm já podem procriar, é um caso que normalmente não se dá, pois como regra geral a fêmea é sempre maior que o macho.Como peixe desportivo como qualquer corvina é um adversário sonhado para qualquer pescador, a sua potência deixa a muitos com mau sabor de boca pois devido à fragilidade da sua boca, as melhores capturas quase sempre se escapam, é um peixe que deve ser trabalhado com muito mimo, apesar do seu tamanho.

                                                                         Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: minhocas, crustáceos, moluscos e peixe.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca, corrico, surfcasting, pesca embarcada.

VIDEO: a  pesca da Corvinata Real, com bucktail.



RECORD IGFA: encontra-se em 8.960kg capturado por Dave Alu no dia 07/05/2008 em Staten Island, New York, USA.

CURIOSIDADES: a Corvinata Real pertence à familía dos roncadores, peixes que possuem uns músculos especiais na bexiga natatória que lhes permitem produzir uns ruídos parecidos aos de um tambor durante a época do acasalamento, os quais utilizam para atrair as fêmeas.


                                                HOMENAGEM AOS AMIGOS



                                                          

quinta-feira, 27 de junho de 2013

FRESHWATER DRUM - Aplodinotus grunniens ( Rafinesque, 1819 )



FAMÍLIA: escienídeos.

LONGEVIDADE: 13 anos.

PROFUNDIDADE: 0 - 30m

COMPRIMENTO: 95cm

PESO: 24.700kg.

DISTRIBUIÇÃO: América do Norte e Central, Este das montanhas rochosas; no grande lago de St. Lawrence, Baía de Hudson e rio Mississipi, assim como nas suas bacías. Desde Quebec até Manitoba e Saskatchewan no Canada. Também no sul do Golfo do México e USA.




BIOLOGIA: o seu nome provém do Grego clássico (aploeides) que significa (simplicidade) é o único da sua espécie, pertence à familía dos escienídeos e têm a capacidade de provocar ruidos semelhantes aos de um tambor tal como os outros membros da sua famíla porém vive exclusivamente em àgua doce. É um peixe de fácil adaptação e está praticamente por quase todas das águas tropicais e sub-tropicais. Vive em grandes lagos ou ríos e é um peixe desportivo de grande interesse nos Estados Unidos e Canadá. A sua carne é muito saborosa e normalmente come-se frito ou cozido. Em rios como o Mississipi a abundância deste peixe é tal que o governo deixa capturar os peixes com a técnica de arco. Isto deve-se a que cada posta de uma fêmea vai desde os 34.000 a 66.000 ovos. Como práticamente não tem enimigos naturais a sua espansão é dramática em certas zonas.

                                                                    Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: insectos, lagostins, camarões, moluscos e pequenos peixes.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca, jigging, carpfishing.

VIDEO: a captura de um freshwater drum.



RECORD IGFA: encontra-se em 24.720kg capturado por Benny Hull no dia 20/04/1972 no lago Nickajack, Tennessee, USA.

                                                     HOMENAGEM AOS AMIGOS

O CORVINÃO NEGRO - Pogonías cromís (Linnaeus, 1766)




FAMÍLIA: escienídeos

LONGEVIDADE: 43 anos.

PROFUNDIDADE: 0 - 10m.

COMPRIMENTO: 1.70cm.

PESO: 52kg.

DISTRIBUIÇÃO: desde Nova Escócia até ao México; Brasil e Argentina.



BIOLOGIA:  encontra-se normalmente em fundos mistos de areia e lodo ou cascalho, especialmente en zonas costeiras com entradas de rios, mais conhecidas por "barras" ou "deltas". Os alevins entram com frequência nos estuários para alimentar-se. Migra para águas mais quentes durante o inverno, a sua época de reprodução. Altura em que pode ser encontrado junto a grandes paredes rochosas. É um peixe muito desportivo, a sua luta consiste em grandes corridas com cabeçadas contínuas. A sua côr pode variar dependendo do habitat, embora esteja sempre em tons escuros que podem variar do cinzento prateado ao castanho escuro, durante a sua juventude possuí quatro riscas verticais em ambos costados de côr negra que desaparecem ao atingir o estado adulto. Alimenta-se principalmente no fundo e para isso utiliza uns enormes barbilhos que possui na mandibula inferior que funcionam como detectores de movimento, pode assim encontrar o alimento enterrado. A pesca do black drum ou corvinão negro é muito comun em molhes e estruturas marinhas criadas pelo homem.


                                                                      Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: crustáceos, moluscos e peixe.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, jigging, corrico, mosca, sufcasting.

VIDEO: a captura de um black drum.



RECORD IGFA: encontra-se em, 51.280kg capturado por Gerald Townsend no dia 15 de setembro de 1975 em Lews, Delaware, USA.

CURIOSIDADES: o black drum pertence à familía dos roncadores, peixes que possuem uma bexiga natatória que lhes permite provocar ruidos para o acasalamento parecidos aos de um tambor, embora todos os peixes tenham bexigas natatórias, só esta familía tem uns músculos especiais nas paredes da bexiga que lhes permite efectuar esse som foi o que lhe deu o nome, drum (tambor).


                                                  HOMENAGEM AOS AMIGOS



segunda-feira, 27 de maio de 2013

A TREMELGA DO ATLÂNTICO - Torpedo torpedo (Linnaeus, 1758)



FAMÍLIA: rajiídeos

LONGEVIDADE: ?

PROFUNDIDADE: 400m

COMPRIMENTO: 1,5m

PESO: 20kg

DISTRIBUIÇÃO: este do Oceano Atlântico, Baía de Biscaia e por todo o Meditêrraneo até Angola.



BIOLOGIA: as raias propriamente ditas são membros dos raiídeos que compreende cerca de 100 espécies e é a maior família dentro da orden dos raiformes. A maior parte das raias são de um côr castanha mosqueada com a parte inferior esbranquiçada e as caudas são relativamente grossas. Durante o dia, costumam repousar no fundo, ficando parcialmente enterradas na areia ou lodo. Tornando-se muito mais activas durante a noite, altura em que se alimentam. A raia em questão é talvez a mais perigosa que se pode encontrar numa noite de pesca, salvo conhecimento da espécie. Este bichinho pode produzir uma descarga elétrica de 200 volts. Suficiente para mandar ao pescador incauto para o hospital ou pior. Conhecem-se cerca de 35 espécies de tremelgas com órgãos elétricos, esta é uma das mais perigosas, a raia no seu habitat natural efectua a captura das suas presas enrolando a "victima" nas suas barbatanas peitorais e efectua descargas elétricas até matar ou aturdir a presa, estas descargas são produzidas pelos blocos musculares que existem a cada lado da cabeça. A tremelga nasce com 9cm e com este tamanho já têm a capacidade de descarga de  200 volts, por isso se virem na praia este bichinho tão bonito lembrem-se do velho ditado. "Mais vale pervenir que remediar".


                                                                         Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: anélidos, crustáceos, peixe.

MÉTODOS DE PESCA: surfcasting, pesca embarcada, spinning, jigging, à mosca.

VIDEO: uma tremalga no seu habitat.



RECORD IGFA: encontra-se em

CURIOSIDADES: na ordem dos raiformes a grande diferença da família raiídeos é que na maior parte das famílias os ovos são fertilizados e eclodem dentro do corpo da fêmea; no caso dos raiídeos os ovos fertilizados internamente são expulsos antes da eclosão.

                                                  HOMENAGEM AOS AMIGOS

terça-feira, 21 de maio de 2013

O BARBO "CIGANO" - Luciobarbus sclateri (Günther, 1868)


FAMÍLIA: ciprinídeos.

LONGEVIDADE: 18 anos.

PROFUNDIDADE: 0 - 20m.

COMPRIMENTO: 1m.

PESO: 8kg

DISTRIBUIÇÃO: Europa, principalmente sul de Espanha e Portugal, nos rios Segura, Vélez e Mira, Seixe e Arade.


BIOLOGIA: possivelmente o mais bonito dos barbos, e o mais fácil de identificar devido ao ventre de côr amarelo ou laranja que identifica esta espécie. O barbo cigano ou "gitano" como é vulgarmente chamado pelos "nuestros hermanos". As fêmeas alcançam fácilmente os 40 cm, já foram pescados muitos exemplares com medidas por cima do metro de comprimento. Os machos são mais pequenos e na época da desova mostram como a maioria dos barbos tubérculos nasais. As côres vão desde o verde azeitona ao amarelo-laranja. Como todos os barbos são uma verdadeira delícia para pescar, neste caso em particular, não só pela magnífica luta que dão mas também pelo bonitos que são estes peixes. Na Andalucía (Espanha) o barbo "sclateri" sofre uma grande mortandade devido à péssima costume que têm esta espécie de habitar pequenos lagos formados pelas enchentes dos rios, durante o verão devido ao calor extremo desta provincía os lagos secam com consequente morte de milhares destes belos barbos.

                                                                       Cortesia de:



ALIMENTAÇÃO: vegetação aquática, insectos, anélidos, crustáceos e peixe.

MÉTODOS DE PESCA: carpfishing, bolonhesa, francesa, inglesa, spinning, mosca.

CURIOSIDADES: estes peixes são uma espécie própria da Peninsula Ibérica, não existem em mais lugar nenhum do mundo.

                                                           CAPTURA E SOLTA



O BARBO COMÚN - Luciobarbus bocagei (Steindachner, 1864)



FAMÍLIA: ciprinídeos

LONGEVIDADE: 11 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 30m

COMPRIMENTO: 80cm

PESO: 9kg

DISTRIBUIÇÃO: Europa. 



BIOLOGIA: o corpo hidrodinâmico e o ventre achatado do barbo, ajudam-no a manter-se junto ao fundo do rio, onde se alimenta. Apesar de preferir águas de correntes rápidas também pode sobreviver em barragens ou lagos. A sua boca está rodeada de quatro barbilhos (de onde vem o seu nome); estes barbilhos estão equipados com células gustativas e tácteis que funcionam como línguas externas com os quais o peixe pode examinar possíveis alimentos. A região dorsal normalmente é castanho-esverdeado, o ventre branco ou avermelhado. Os juvenis apresentam manchas escuras na zona dorsal que desaparecem ao atingir o estado adulto. Na época nupcial ou de reprodução os machos apresentam uns tubérculos na zona do focinho.

 É um adversário maravilhoso e nobre, a sua luta é das mais emocionantes que se podem gozar em água doce, as suas arrancadas ou sentir-se capturado são épicas e somente quando já não lhe restam forças é que se dá por vencido. A força da sua luta está comparada com a de um salmão de igual peso e tamanho!!



ALIMENTAÇÃO: vegetação aquática, insectos, crustáceos, minhocas e peixe.

MÉTODOS DE PESCA: carpfishing, bolonhesa, inglesa, francesa, mosca.

RECORD IGFA: encontra-se em 6,120kg capturado por Eric Charles Roberts em St. Patrick´s Stream, Bershire, Inglaterra, no dia 29 de dezembro de 2004.

CURIOSIDADES: as fêmeas escavam um sulco onde depositam os ovos. Ingerem areia o que ajuda à digestão dos alimentos. Realizam migrações pré-reprodutivas para zonas lóticas. Efectuam pequenas migrações para cursos de água com o fundo de cascalho, com águas correntes e límpidas onde realiza a postura.

                                                             CAPTURA E SOLTA


EDITOR

A minha foto

Los que me conocen, saben quien soy...

Arquivo do blogue