AMIGOS DE PEIXES DESPORTIVOS DO MUNDO

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O GORAZ - Pagellus bogaraveo (Brünnich, 1768)


FAMÍLIA: esparídeos

LONGEVIDADE: 15 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 300 m

COMPRIMENTO: 70 cm

PESO: 4,500 kg


DISTRIBUIÇÃO: desde Noruega até ao Mediterrâneo e Ilhas Canárias.





BIOLOGIA: o goraz tem barbatanas vermelhas e uma tonalidade avermelhada no seu corpo prateado. Também possui uma grande mancha escura por detrás de cada cobertura branquial. Encontra-se em profundidades variáveis mas quase sempre perto de recifes e destroços de navios. Desloca-se normalmente em cardume, e é bastante voraz. Durante a sua juventude é normal capturar pequenos gorazes em zona costeiras, locais donde se alimentam de pequenos moluscos, crustáceos, milhocas e pequenos peixes, normalmente em fundos de lodo ou areia.

Muitas vezes comfundido com o seu "primo", o Besugo (Pagellus acarne) do qual falaremos mais adiante. Maravilhoso combatente que nos dará enormes alegrias se tivermos a sorte de capturar um exemplar com um peso consideravél. A sua carne é sem dúvida uma das mais saborosa da fauna marinha, razão pela qual é cada vez mais dificíl capturar um exemplar em condições.

                                                                        Cortesia de:

ALIMENTAÇÃO: camarões, caranguejos, lulas e peixe.



MÉTODOS DE PESCA: Surfcasting, pesca embarcada, jigging.



RECORD IGFA: até há data não existe record para esta espécie.

domingo, 19 de setembro de 2010

O BONITO DO ATLÂNTICO - Sarda sarda


FAMÍLIA: escombrídeos

LONGEVIDADE: 5 anos

COMPRIMENTO: 90 cm

PROFUNDIDADE: 0 - 50 mts

PESO: 11 kg



DISTRIBUIÇÃO: Atlântico, Mediterrâneo e Mar negro.



BIOLOGIA: o Bonito do Atlântico também chamado Sarrajão ou Serra, é semelhante ao do Pacifíco, mas as riscas que possui nos flancos são mais oblíquas e têm 20 a 23 espinhos na primeira barbatana dorsal, contra 17 a 19 do seu congénere do Pacífico. Quando se alimenta, desenvolve uma risca amarela em ambos lados do dorso e uma série de barras escuras verticais em cada flanco. Estas desaparecem quando pára de comer. Viaja em cardume a profundidades que oscilam entre os 50m e a superfície. Costuma entrar em estuários para alimentar-se, possui tendências canibais visto que os adultos predam sobre os seus congéneres mais jovens. E têm facilidade para adaptar-se a  diferentes estados de temperatura. Nadador veloz e lutador como poucos, uma verdadeira jóia para o pescador desportivo.


ALIMENTAÇÃO: lulas, e peixe normalmente a cavala que captura logo abaixo da superfície.


MÉTODOS DE PESCA: corrico, spinning, jigging, á deriva.

                                                          Cortesia de Sérgio Ferreira



                              ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.


RECORDO IGFA: encontra-se em 8,300 kg capturado por D. Higgs na ilha do Faial, Açores, Portugal no dia 07/08/1953.

sábado, 11 de setembro de 2010

O PIMPÃO - Carassius carassius



Familia: ciprinídeos

Longevidade: 10 anos

Profundidade: 0 - 30 m

Comprimento: 60 cm

Peso: 3 kg


Distribuição: global


Biologia: esta pequena carpa de corpo largo está mais próxima do peixe vermelho do que da carpa selvagem, mas pode reproduzir-se com ambas espécies. Tolera uma vasta margem de tempraturas, baixos níveis de oxigénio, acidez e densa vegetação. Tal como a carpa selvagem ou carpa comum ( Cyprinus carpio) foi criado em Ásia cerca de 400 a.C. para consumo. É um peixe divertido e curioso, que nos dará mais de uma sorpresa pois ninguém imagina que semelhante peixinho possa dar a luta que dá um Pimpão com apenas 500 gr, uma autêntica sorpresa.

Aconselho a sua pesca a principiantes, pois como disse antes é um peixe divertido, e bastante fácil de pescar. A sua reprodução dá-se no final da Primavera e princípio do Verão quando a água excede os 18ºC. Os ovos são colocados em águas poco profundas com uma vegetação densa e abundante e boa exposição à luz solar, ficando presos às folhas das plantas aquáticas por uma seiva pegajosa. Os alevins eclodem ao fim de cinco a oito dias permanecendo inicialmente agarrados às plantas.


O video: a solta de alguns pimpões, depois de uma divertida tarde de pesca com cana de coup.



Alimentaçao:  milhocas, larvas, caracóis, pão, milho, etc.

Métodos de pesca: coup, inglesa, boloñesa, ledgering, carpfishing, à mosca.

Récorde IGFA: encontra-se em 2,100 kg capturado por Lars Jonsson no dia 06/12/1988 em Ostanforsan, Falun, Suiça.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O ROCAZ - Scorpaena Scrofa


Cortesia de:


Familia: Scorpaeniformes 

Longevidade: ?

Profundidade: 0 - 500 mt

Comprimento: 50 cm

Peso: 2.960 kg



Distribuição: Madeira, Açores, Ilhas Canárias, Cabo Verde e Senegal. A sua presença é quase global excepto no Mar Negro.


Biologia: o seu habitat favorito são as zonas rochosas ou recifes de coral, locais nos quais se oculta perfeitamente devido a sua capacidade de mimetismo, pode-se estar a cm do Rocaz sem perver a sua presença tal é a capacidade deste peixe de camuflar-se com o seu meio. Peixe sedentário o qual é muito dificíl ver em cardume. A sua técnica de caça é basicamente ficar imovél até ao momento em que a sua presa se encontra ao alcance da seu rápido e mortifero ataque que se processa em décimas de segundo.

 Como peixe desportivo a sua luta não é para grandes alardes, porém o que se refere à sua carne a conversa é outra. Simplesmente deliciosa, no entanto aconselho extremo cuidado ao manuserar este peixe pois o seu veneno é bastante doloroso, e o seu corpo está perfeitamente equipado com dezenas de espinhas para o destribuir, aconselho o uso de um boca-grip ou qualquer utensilio para o manejar e retirar o anzol. Devido à sua beleza é bastante comun vê-lo em aquários marinhos.

 

Alimentação: peixe, crustáceos e moluscos.



Métodos de pesca: pesca embarcada, jigging.



Aconselho as amostras pela desportividade.



Récord IGFA: encontra-se em 2.960 kg capturado por Stuart Brown-Giraldi no dia 30/05/1996 em Gibraltar.

Nota do autor: especial menção à captura do meu amigo S.Ferreira pois normalmente a captura de um Rocaz costuma ser de dimensões bastante inferiores, este peixe é um exemplar de récord.

EDITOR

A minha foto

Los que me conocen, saben quien soy...