AMIGOS DE PEIXES DESPORTIVOS DO MUNDO

sábado, 31 de outubro de 2009

O PACÚ - Colossoma macropomum


FAMÍLIA: characídeos

LONGEVIDADE: 13 anos

COMPRIMENTO: 108 cm

PESO: 50 kg

PROFUNDIDADE: 0-20 m



DISTRIBUIÇÃO: América do sul (rios Amazonas e Orinoco). Introduzido com sucesso na Tailândia.



BIOLOGIA: durante a sua juventude alimenta-se de vegetação subaquática, frutas e sementes variadas. Ao atingir o estado adulto, abandona as margens e procura águas mais profundas onde introduz na sua alimentação caracóis. Na época das cheias tem o custume de invadir as florestas inundadas para se alimentar. Espécie migratória, que tem a particularidade de não se alimentar durante a desova, sobrevivendo devido à gordura que acumula durante a época das cheias. É muito utilizado na aquariofilia, devido à capacidade de viver em águas pobres e à sua grande resistência a doenças. Esta espécie é normalmente solitária e em raras ocasiões encontram-se em cardume, excepto durante a época de reprodução. No Brasil é conhecido como Tambaqui, e existe uma verdadeira legião de pescadores que adora este peixe. Possuidor de uma excelente dentadura, corta com muita facilidade o nylon e aconselham-se anzóis de haste longa.

                                                         Cortesia de Gilberto Chudi jr.


ALIMENTAÇÃO: frutos ou sementes da região e em minhocas a preferida do Pacu é a minhocuçu. (minhoca de dimensões extraordinárias que atinge mais de 50 cm de comprimento e 2 cm de diâmetro).

MÉTODOS DE PESCA: ao fundo e à bóia.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 32.400 kg capturado por Jorge Masullo de Aguiar no dia 25/08/2007 no lago Grande, Brasil.

CURIOSIDADES: existem capturas esporádicas com artificiais de vinil que imitam a minhocuçu.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

O GIANT FEATHERBACK - Chitala lopis


FAMÍLIA: notopterídeos

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 150 cm

PESO: 30 kg

PROFUNDIDADE: 0-20 mts


DISTRIBUIÇÃO: Ásia

BIOLOGIA: também conhecido como peixe faca (knifefish), esta espécie, habita rios e lagos, com preferência por águas lentas ou paradas. Alimenta-se de pequenos peixes do seu habitat e pequenos invertebrados e insectos. A sua máxima actividade dá-se em horas crepusculares ou nocturnas. Tímido e reservado, é de difícil captura. É um adversário digno, pela bravura com que se defende, saltando como um autêntico diabo e empreendendo corridas meteóricas.

                                                          Cortesia de J.F. Helias




ALIMENTAÇÃO: peixes do seu habitat e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca e à bóia.

                             ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 9.800 kg capturado por A. Sungwichien-Helias no dia 21/04/2006 na reserva Srinkain Dam, Tailândia.

Nota. J.F. Helias, não só é um grande pescador com vários record IGFA. É também o proprietário da famosa agência de guias de pesca "Fishing adventures Thailand".

A PAYARA - Hydrolycus scomberoides


FAMÍLIA: cynodonterídeos

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 117 cm

PESO: 17,8 kg

PROFUNDIDADE: 0-50 mts


DISTRIBUIÇÃO: América do sul, rio Amazonas e afluentes.

BIOLOGIA: encontra-se principalmente em águas rápidas, especialmente ao redor de rápidos e formações rochosas; também em águas profundas onde podem caçar mais facilmente. Existem muitas espécies de payaras. Embora sejam predadores rápidos e ferozes sao mais pequenas. A maioria raramente excede os 2,5 kg. Caçam em cardume e o mais impressionante da sua fisionomia são sem dúvida os seus dentes, especialmente dois caninos proeminentes de cerca de 10-15 cm nas payaras adultas, que apesar de serem tão extravagantes nao incomodam nada, visto que a payara tem duas cavidades no maxilar superior, onde estes caninos encaixam na perfeição. Com uma agressividade extrema, atacam de baixo para cima empalando literamente as suas presas com esses temíveis caninos. Muitas vezes, as presas possuem metade do seu tamanho.
Devido à estrutura da sua boca (puro osso), a payara é muito difícil de fisgar.
Diz-se que se conseguirmos capturar 5 de cada 10 picadas é porque se está a pescar bem! No caso de se optar por uma pesca mais desportiva (com amostras) aconselha-se o uso de amostras de madeira de balsa vistos que estas continuarão a funcionar perfeitamente depois de esburacadas pelos dentes da Payara, enquanto que as de plastico não, porque lhes entrará água pelos orifícios desestabilizando a amostra. A reprodução dá-se nos meses de Novembro-Abril e sobe o rio para a realizar. Isto ocorre quando o peixe alcança cerca de 27 cm de comprimento.
Tambem conhecida como "cachorro ou cachorra" pelo aspecto que tem e a ferocidade dos seus ataques.
                                                                 Cortesia de T. Sakumi



ALIMENTAÇÃO: peixes do seu habitat tais como, lambaris, tuviras e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca, fundo e à bóia.

                              ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 17.800 kg capturado por Bill Keelly no dia 10/02/1996 nas cataratas Uraima em Venezuela.

O TARPÃO - Megalops atlanticus


FAMÍLIA: elopídeos.

LONGEVIDADE: 30 anos nos machos e 50 anos nas fêmeas.

COMPRIMENTO: 2 m

PESO: 160 kg.

PROFUNDIDADE: ?


DISTRIBUIÇÃO: Atlântico ocidental, golfo do México, Caraíbas, costa ocidental da América central e costa do noroeste de África.



BIOLOGIA: o rei de prata, é apenas um dos nomes que tem este espectacular peixe. Valenciennes descreveu pela primeira vez o tarpão em 1847 classificando-o no género Megalops, nome derivado do grego que significa "o dos olhos grandes" uma das características do tarpão. É o peixe que tem a maior capacidade de pôr ovos, cerca de 12 milhões. A emigração para a reprodução dá-se nos meses de Maio a Junho e fazem incursões em rios e estuários para o acto. A típica cor prateada com tons de azul escuro ou verde no lombo, muda a castanho escuro ou negro quando permanecem muito tempo em águas interiores.

 
O grande tarpão pesca-se normalmente em ribeiros em que entra a maré, estuários, mangues e lagoas, podendo por vezes ser capturado ao largo da costa. As suas escamas são grandes e rijas, com um brilho metálico e o ultimo raio da barbatana dorsal é extremamente alongado. Na mesma família existe também o tarpão do Indo-Pacífico (megalops cyprinoides, bastante mais pequeno - 18 kg). Devido às características da sua cabeça e da sua boca, extremamente óssea, o tarpão é um adversário difícil de capturar, pois a sua boca tem pouca aderência a qualquer tipo de anzol. O tarpão tem que engolir o anzol para que exista uma possível prisão. Para além de tudo isto, o tarpão tem a "técnica" apuradíssima de saltar e sacudir a cabeça no ar para se libertar. Tem também a capacidade de respirar oxigénio do ar, devido a possuír uma bexiga gasosa modificada. Esta bexiga, contém tecido alvéolar e esponjoso, com um canal que comunica directamente com o esófago, o que na natureza é o mais parecido com um pulmão. Portanto cada vez que salta para se libertar, enche o "depósito de combustível", o que faz do tarpão uma autêntica máquina. Se a isso juntarmos o peso médio que é de 30 a 50 kg, já se pode fazer uma ideia do que é pescar este peixe. Temperamental, pode comer até pedras e noutras ocasiões não querer nada.

                                                                 Cortesia de J.C. Poiret    
                                         


ALIMENTAÇÃO: qualquer peixe do seu habitat e amostras ou moscas.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca, a bóia e a deriva.

O VIDEO: pura prata.





                            ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 129.982 kg capturado por Max Domecq no dia 20/03/2003 em Rubane Guine Bissau.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O TUCANARÉ - Cichla ocellaris (Bloch & Schneider, 1801)


FAMILIA: ciclídeos

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 1 m

PESO: 15 kg

PROFUNDIDADE: 0-20 m

DISTRIBUIÇÃO: América do sul, rio Amazonas e Orinoco e seus afluentes.




BIOLOGIA: se existe um adjectivo para qualificar este peixe, é sem duvida "explosivo". São quatro as espécies de peacock ou tucanaré, como são conhecidos em grande parte do mundo.
O tucanaré grande (Cichla temensis) caracteriza-se por três riscas verticais situadas atrás dos olhos na altura das faces. A parte superior do seu corpo apresenta um verde brilhante.

O speckled tucanaré, é o mais escuro dos peacock. Esta subespécie caracteriza-se por uma série de manchas de cor amarelo claro e branco ou linhas discontínuas em filas horizontais ao longo do corpo. São os lutadores mais duros, embora sejam mais pequenos.


O butterfly tucanaré distingue-se dos outros porque tem três círculos negros em cada lado do corpo, no lugar das riscas verticais e não são muito grandes. O seu peso ronda os 6 kg.


Finalmente o royal tucanaré, comparável em tamanho ao butterfly, possui uma risca escura irregular que percorre longitudinalmente o corpo. A cor predominante dos tucanarés é o verde.

                                                            Cortesia de:


A força de um peacock bass não corresponde ao seu tamanho e muitos pescadores já foram surpreendidos pela ruptura da cana devido à sua inexperiência e consequente fuga do peixe. Embora o seu nome nos recorde o black bass, nada mais longe da realidade. O tucanaré pertence à família dos ciclídeos, a que pertencem mais de mil espécies. Com diferenças notáveis como o facto de que nunca desiste de atacar a sua presa até conseguir o seu objectivo, alimenta-se de qualquer ser vivo do seu habitat. Extremamente territoriais, atacam muitas vezes não para alimentar-se, mas para proteger o seu territorio. Na época da desova, os machos desenvolvem um crista ou perturberância sobre a cabeça.

O VIDEO: simplesmente explosivo.



ALIMENTAÇÃO: peixes do seu habitat, caranguejos, rãs, cobras e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca e à bóia.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 12,240 kg, capturado por Gerald Lowson no dia 04/12/1994 no Rio Negro, Brasil.

                                             HOMENAGEM AOS AMIGOS




quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O ATUM RABILHO - Thunnus thynnus


FAMÍLIA: escombrídeos

LONGEVIDADE: 50 anos

COMPRIMENTO: 4,30 m

PESO: 680 kg

PROFUNDIDADE: 0-985 mts


DISTRIBUIÇÃO: Atlântico (oeste), Golfo do México, Caraíbas, Venezuela, Noruega, Ilhas Canárias e Mediterrâneo. Também na África do Sul.



BIOLOGIA: o maior dos atuns, é uma autêntica "bala", capaz de alcançar velocidades da ordem dos 104 km/h. Deslocam-se em cardumes, mas todos os membros têm tamanhos similares. Alimenta-se de qualquer peixe do seu habitat, com especial interesse denotando particular interesse por pequenos cardumes de anchovas, lulas e caranguejo vermelho. A sua defesa mais espectacular consiste no facto de que quando são ferrados, mergulham a pique a uma velocidade tremenda, causando muitas vezes a ruptura do nylon. A família dos escombrídeos está espalhada pelas águas temperadas e tropicais e tem uma grande importância tanto a nível comercial como da pesca desportiva. O seu grande valor comercial faz com que sejam pescados com grandes redes derivantes, mas o uso dessas redes foi restringido por acordos internacionais, dado que apanhavam não só uma grande percentagem de atuns, como também outras especies tais como: dourados, espadins, etc.
Alguns dos nomes mais conhecidos desta espécie são; o atum gaiado (euthynnus pelamis) que pode atingir os 35 kg, o atum de barbatana negra (thunnus atlanticus) sendo um dos mais pequenos que só atinge 19 kg e o atum voador (thunnus alalunga ) cujo nome vem das suas barbatanas peitorais que se estendem até ultrapassar a barbatana anal e atinge o peso de 43 kg.

                                                              Cortesia de:


ALIMENTAÇÃO: sardinha, cavala, lulas, anchovas e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, trolling, jigging, a mosca e a deriva.

O VIDEO: a extraordinária captura de um atum vermelho a spinning de superficie.



                             ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 678.580 kg capturado por Ken Fraser no dia 26/10/1979 em Aulds Cove Nova Escócia, Canada.

domingo, 25 de outubro de 2009

O DOURADO - Coryphaena hippurus



FAMÍLIA corifenídeos

LONGEVIDADE: 4 anos

COMPRIMENTO: 1,27 m

PESO: 40 kg

PROFUNDIDADE: 0-85 m

DISTRIBUIÇÃO: global (em águas abertas de mares temperados e tropicais).


BIOLOGIA: um peixe belíssimo, grande lutador que nos deleita com os seus espetaculares saltos e corridas vertiginosas. Habitante de mar aberto, move-se com destreza nas capas superficiais, onde caça o seu manjar favorito, o peixe-voador. O sexo é facilmente visível devido ao facto da fêmea ter a cabeça arredondada e o macho uma forma mais quadrada o que lhe dá um aspecto muito mais feroz. Mas o que realmente chama a atenção neste peixe, são as suas cores, com um azul eléctrico e verde no lombo e um amarelo e branco no ventre que fazem um contraste espetacular. Adoram esconder-se em plataformas que encontram em qualquer parte do seu habitat tais como, troncos, algas de superficie, plataformas ou boias de sinalização, deslocam-se em cardume.

                                                                 Cortesia de:  


ALIMENTAÇÃO: peixe (especialmente peixes-voadores), lulas e crustáceos.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, jigging, corrico, à mosca e à deriva.

O VIDEO: um arcoirís no mar

.
                          ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE!!

RECORDE IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 39.460 kg capturado por Manuel Salazar no dia 25/09/1976 no Golfo de Papagallo, Costa Rica.

                                                         HOMENAGEM AOS AMIGOS





sábado, 24 de outubro de 2009

O MERO TIGRE - Epinephelus itajara (Lichtenstein, 1822)


FAMÍLIA: serranídeos.

LONGEVIDADE: 37 anos.

COMPRIMENTO: 250 cm.

PESO: 450 kg.

PROFUNDIDADE: 0 - 300 m.



DISTRIBUIÇÃO: Oceano Atlântico(oeste), USA, Sudoeste do Brasil, Caraíbas, Congo e Senegal.


BIOLOGIA: os serranídeos pertencem a uma grande família de peixes que compreendem mais de 375 especies. São na sua maioria peixes marinhos de águas temperadas e tropicais cujas dimensões oscilam entre menos de 30 cm e os 3,7 m. Encontram-se junto de rochas, recifes e destroços de navios e molhes, em águas costeiras. Os membros maiores da família são peixes robustos, de dentes afiados, vivem junto ao fundo e alimentam-se de peixe, crustáceos e marisco em geral. Têm a tendência para ser mais solitários que gregários, excepto na época da desova. Os indivíduos de muitas espécies mudam de sexo à medida que crescem, amadurecem e reproduzem-se como fêmeas, tornando-se machos quando ficam mais velhos e maiores. Sabe-se que esta espécie pode atingir 2,50 m de comprimento e 450 kg de peso. Não é um grande lutador, mas o seu peso e a atitude de esconder-se em buracos ou gretas quando capturado, tornam-no difícil de trazer a terra. O mero de Queensland (Promicrops lanceolatus) é ainda maior e pode crescer até aos 3,7 m e pesar 500 kg.
                                                                        
                                                                      Cortesia de:


ALIMENTAÇÃO: peixe, lulas, minhocas, camarões, ameijoas, caranguejos e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: fundo, corrico, jigging e spinning.

O VIDEO: uma verdadeira batalha!!



RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 308.440 kg capturado por Lynn Joyner no dia 20/05/1961 na praia Fernandina, Florida U.S.A.

A ARAPAIMA - Arapaima gigas



FAMILIA: arapaimídeos.

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 4,50 m.

PESO: 200 kg.

PROFUNDIDADE: 0-10 m.


DISTRIBUIÇÃO: América do Sul, Equador, Perú, Bolívia, Guiana Francesa e norte do Brasil.


BIOLOGIA: também chamado Pirarucu,( no Brasil) este predador pré-histórico e misterioso, é uma das maiores espécies de água doce do mundo. Nos poucos lugares onde os arapaimas podem ser vistos em grande número, podem ser ouvidos enquanto caçam os pequenos peixes dos quais se alimentam. É normal subirem à superfície para engolir ar fresco - assim como o tarpão tem a capacidade de respirar ar. Embora seja um peixe de dimensões extraordinárias, é um perdador silencioso movendo-se com elegância com o seu corpo largo e flexível, em busca de pequenas presas. Apesar do tamanho da sua cabeça, a sua boca é relativamente pequena e nao pode ingerir animais de grande porte. Tem uma taxa de crescimento muito rápida e nos dois primeiros anos um peixe com 1,40 mt e 30 kg ronda em idade os 3 ou 4 anos. Ao ser pescado, utiliza todo o seu peso para saltar no ar e caír em cima da linha para tentar parti-la. Assim, a tarefa mais árdua do pescador é tentar evitar o facto anterior, para além dos saltos permitirem recarregar energias porque respira (ar), o que aumenta a intensidade da luta, outra vez!! Pescam-se principalmente na estação seca, ao ficarem presos em poças.

                                                                         Cortesia de:


ALIMENTAÇÃO: peixes do seu habitat tais como piranhas, peixes gato e caranguejos.

MÉTODOS DE PESCA: ao fundo, á bóia e spinning.


O VIDEO: monstruoso!!!


                        ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 130 kg capturado por Jakub Vagner no dia 17/08/2008 na Amazónia, Brasil.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O ALLIGATOR GAR - Atractosteus spatula


FAMÍLIA: lepisosteídeos

PROFUNDIDADE: 0-50m

LONGEVIDADE: 60 anos

COMPRIMENTO: 3 m

PESO: 145 kg



DISTRIBUIÇÃO: USA, México, Tailândia e Singapura.



BIOLOGIA: este peixe tem origem no Mesozoico, há mais de duzentos milhões de anos. O seu habitat principal são os grandes lagos e rios; prefere ambientes pouco profundos cheios de algas e ervas. Pode sobreviver em condições extremas, visto possuír uma câmara de ar perfeitamente adaptada para que possa respirar na superfície. Com um corpo largo e cilíndrico, coberto de toscas escamas duras como couraças (que foram utilizadas pelos indios como pontas de flecha), com uma boca extraordinária que contém duas filas de caninos por mandíbula, a sua cor é de um verde "azeitona" ou castanho verdoso no dorso e mais claro no ventre. Formidável lutador quando capturado, dá saltos enormes fora de água para tentar escapar. Tem o mau hábito de flutuar na superfície o que quase o levou à extinçao, visto que foi caçado durante muitos anos com arco e flecha, não só pelos indios como mais tarde pelos colonos americanos. Recentemente foi introduzido com grande êxito em lagos privados da Tailândia e Singapura como por exemplo o famoso lago de Bung Sam Lan, próximo da cidade de Bangkok. Alimenta-se de qualquer tipo de peixe do seu habitat, aves aquáticas, roedores e cobras. As suas ovas são venenosas para o ser humano e mamíferos em geral, porém não para outros peixes.

                                                                     Cortesia de J. Spencer


ALIMENTAÇÃO: qualquer peixe do seu habitat e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: bóia, fundo, spinning, corrico e mosca.


O VIDEO: espetacular!!!!
 

                         ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 126.550 kg capturado por Bill Valverde no dia 02/12/1951 no Rio Grande do Texas, U.S.A.

O ESTURJÃO - Acipenser transmontanus


FAMÍLIA: acipencerídeos

COMPRIMENTO6 mts

LONGEVIDADE:100 anos

PROFUNDIDADE: 0-60mts

PESO: 1000 kg

DISTRIBUIÇÃO: Colombia Britânica, rio Fraser, Califórnia e Alásca.

BIOLOGIA: um dinossauro de água doce, visto que já existia no período Jurássico, o esturjão é o maior peixe de água doce que se pode encontrar na América do Norte. Capaz de superar a barreira dos 6 mt e de alcançar 1,000 kg. Uma máquina de cansar pescadores. A cor do lombo é de um cinzento verdoso e o ventre branco. Está provido de escudos ósseos dorsais e laterais que lhe dão um aspecto couraçado peculiar. Dotado de uma boca como a dos tubarões, com a particularidade de que não tem dentes, esta tem a capacidade de esticar dando forma a uma espécie de tubo com o qual "chupa" os alimentos. Com pouca visão a qual não lhe é necessária visto que tem uma capacidade olfativa 15 vezes superior a um bom perdigueiro. Por incrível que pareça, este mastodonte quando capturado, dá enormes saltos fora de água. A melhor época de pesca tem início nos princípios de Abril e dura até finais de Novembro. De um modo geral, reproduz-se entre os meses de Maio e Junho, sobre fundos de pedra com fortes correntes. Alimenta-se principalmente de salmões em estado de decomposição, invertebrados e moluscos.

                                                        Cortesia de N. Calleya e G. Carstairs


ALIMENTAÇÃO: alimenta-se básicamente de tudo o que encontra no fundo, para a sua pesca utiliza-se muito as ovas de salmão (melhor quanto mais mal cheirosas) ou o próprio salmão, mas em mau estado.

MÉTODO DE PESCA: ao fundo.

O VIDEO: simplesmente brutal!!



RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 212.280 kg capturado por Joey Pallota III, no dia 09/07/1983 em Benicia California, U.S.A.

O SNAKE HEAD - Channa marulia




FAMÍLIA: charanídeos

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 1.83 mts

PESO: 30 kg

PROFUNDIDADE: 0-30 mts


DISTRIBUIÇÃO: Ásia, India, China e Paquistão.


BIOLOGIA: durante o seu estado de alevin, é apenas um bonito peixe, quase de aquário com o corpo completamente vermelho, marcado por manchas transversais que podem ser côr de laranja ou negras, alimentando-se de plâncton, insectos e pequenos crustáceos, porém quem vê este inocente peixinho e não o reconhece fica bastante sorpreendido com o "monstro" em que se transforma ao atingir o estado adulto. 


Com clara preferência por pântanos e canais, habita águas com abundante vegetação subaquática. Predador carnívoro, alimenta-se de peixe, rãs, sapos, cobras e ratos. Ao atingir maiores dimensões, procura poças fundas e aí permanece saindo somente para se alimentar, altura em que se tiver a oportunidade não deixa escapar qualquer tipo de ave aquática que se deixe capturar. Os machos são territoriais e têm tendência a morder uma vez capturados. As mordeduras são bastante perigosas porque um macho com cerca de 1 kg pode facilmente com uma dentada amputar um dedo. O seu nome vem da peculiar forma que tem a sua cabeça, parecida com a das serpentes (snake).
A côr do Snakehead varia dependendo muito do habitat onde se encontre mas o mais normal é um dorso cinzento-negro com o ventre branco.

                                                                 Cortesia de J.F. Helias


ALIMENTAÇÃO: qualquer das presas antes mencionadas e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: spinning, mosca, bóia e ao fundo. Em grandes extensões de água também ao corrico.


O VIDEO: a captura de um snake head.




                                ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.


RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 5.220 kg capturado por Jean-Francois Helias no dia 16/03/2007 na reserva Srinakarin em Tailândia.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

O MAHSEER - Barbus tor putitora


FAMÍLIA: ciprinídeos

LONGEVIDADE: ?

PESO: 70 kg

COMPRIMENTO: 1,80 mts

PROFUNDIDADE: 0-20 mts

DISTRIBUIÇÃO: India, Assam e Birmânia.

BIOLOGIA: considerado um peixe sagrado na India, o mahseer dourado dos Himalaias tem vários "primos" entre eles o famoso Humpback Mahseer do rio Kaveri que também alcança tamanhos extraordinários; é um peixe realmente bonito, para além de grande lutador; alimenta-se de peixes, moluscos, caranguejos; possui um formidável jogo de dentes farígenos na garganta com os quais tritura as conchas mais duras. Nâo existe corrente que possa impedir este peixe, visto que a superfície das suas barbatanas e rabo são maiores que o seu próprio corpo; gosta dos rios com rápidos, rochas e poças.

                                                    Cortesia de Misty Dhillon


ALIMENTAÇÃO: peixes, caranguejos; podem ser engodados com boilles.

MÉTODOS DE PESCA: Ao fundo, bóia, mosca e amostra.

O VIDEO: a incrível luta do Golden Mahseer.


                          ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 12.246 kg capturado por Jeff Currier no dia 29/05/2008 no rio Ramganga, India.

                                                          CAPTURA E SOLTA

O GOONCH - Bagarius yarrelli


FAMÍLIA: Sisorinídeos

LONGEVIDADE:

COMPRIMENTO: 2 mts

PESO: 100 kg

PROFUNDIDADE: 0-30 mts


DISTRIBUIÇÃO: Ásia, Mekong e Indonésia.

BIOLOGIA: este predador oportunista, encontra-se normalmente na queda dos rápidos, onde espera que a corrente lhe ofereça uma presa fácil; gosta de descansar em poças profundas. Alimenta-se de um pequeno peixe próprio do seu habitat chamado "chilwa", bastante parecido à tainha, e do "mahseer", outro peixe parecido com o barbo que atinge tamanhos descomunais. Emigra em cardume e como curiosidade, costuma seguir as carpas de Siam que emigram na mesma época, no final da época das chuvas quando a água se encontra mais turva; é um peixe singular com uma enorme boca repleta de afiadissimos dentes e com umas barbatanas peitorais tao grandes que parecem asas.


                                                            Cortesia de:


ALIMENTAÇÃO: a anteriormente citada.

MÉTODOS DE PESCA: ao fundo e à bóia.

O VIDEO: um monstro de água doce.



RECORD IGFA: 

A CAVALA DA INDIA - Acanthocybium solandri


FAMÍLIA: escombrídeos

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 2,50 mts.

PESO: 80 kg.

PROFUNDIDADE: 0-20 mts.


DISTRIBUIÇÃO: Oceano Atlântico, Índico, Pacífico, Caraíbas e Mediterrâneo.



BIOLOGIA: foi referido pela primeira vez como peixe desportivo pela tripulação do Endeavour, cujo capitão James Cook pescou o primeiro e o baptizou como A. solandri , em homenagem a Daniel Solander, o grande cientista Sueco tripulante desse barco. Capaz de atingir um velocidade de 80 km/hora, é um peixe de corpo comprido com "a cabeça" fusiforme; a sua cor vai desde o prata ao cinzento prateado, com tons azulados no dorso e uma cauda bifurcada. Vive em mar aberto, normalmente em cardumes e alimenta-se de peixe e lulas.

                                                          Cortesia de G. Banks Pangas



ALIMENTAÇÃO: peixes do seu habitat, lulas e amostras.

MÉTODOS DE PESCA: corrico, spinning, a mosca, á deriva.


O VIDEO: a captura de uma cavala da India pelo saudoso Rubinho, grande pescador brasileiro.




                              ACONSELHO AS AMOSTRAS PELA DESPORTIVIDADE.

RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 83.460 kg capturado por Sara Hayward no dia 26/07/2005 no Cabo San Lucas, Mexico.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A PIRAÍBA - Brachyplatystoma filamentosum


FAMÍLIA: pimelodídeos

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 3,60 m

PESO: 200 kg

PROFUNDIDADE: 0-50 mts


DISTRIBUIÇÃO: América do Sul, Brasil(rios Amazonas e Orinoco). Também Argentina e Panamá.


BIOLOGIA: Esta família contém cerca de 30 géneros. É um peixe que se alimenta nas capas superficiais de água, aspirando o alimento, com preferência por fundos suaves ou lodosos; são encontrados mais fácilmente nas bocas dos rios, esperando que a corrente lhes leve o alimento. Formidavel combatente, capaz de levar qualquer pescador ao sofrimento para o trazer a terra.

                                                                Cortesia de S. Hending


ALIMENTAÇÃO: peixes, do seu habitat.

MÉTODOS DE PESCA: ia e ao fundo.

O VIDEO: simplesmente impressionante!!





RECORD IGFA: categoria All-Tackle, encontra-se em 155 kg capturado por Jorge Massullo de Aguiar no dia 29/05/2009 no rio Solimões, Brasil.

domingo, 18 de outubro de 2009

O PEIXE-GATO DE MEKONG - Pangasianodon gigas



FAMÍLIA: pangasiídeos

LONGEVIDADE: ?

COMPRIMENTO: 3 mts

PESO: 350 kg

PROFUNDIDADE: 0-50 mts



DISTRIBUIÇÃO: Ásia, onde a sua maior concentração se dá em Mekong.


BIOLOGIA: têm o corpo alargado ligeiramente comprimido, com uma mandíbula arredondada e uma cabeça relativamente grande. O macho tem uma cabeça mais pequena, enquanto a fêmea tem a ponta da boca larga e uma parte do seu abdómen proeminente; os olhos estão completamente separados dos parpados e carecem de dentes; possuem um par de bigodes rosados que se ocultam junto a boca e dois orifícios nasais bem separados um do outro. Vive em grandes cursos de água e lagos e alimenta-se de vegetação e pequenos invertebrados. Tem uma das mais altas taxas de crescimento do mundo e é capaz de alcançar 1-5 mts e 200 kg em apenas 6 anos. Citado no livro Guinness dos recordes como o maior peixe de água doce. Um dos lagos mais famosos para a sua pesca desportiva encontra-se em Mekong, o lago Bung Sam Lam onde convive com numerosas espécies tais como a Arapaima, a Carpa de Siam, o Snake Head. Por esse facto é conhecido em meio mundo como o peixe gato de Mekong.

                                                                  Cortesia de T. Weeb                                         




ALIMENTAÇÃO: principamente vegetal para a sua pesca utiliza-se uma massa confecionada com pão, leite de côco e algum outro ingrediente "secreto".

MÉTODOS DE PESCA: à bóia.

O VIDEO: a incrível batalha que dá um peixe gato de Mekong.



RECORD IGFA: encontra-se em 86,640 kg capturado no dia 14/12/2009 por Joseph Stewart Ball no Gillhams Fishing Lodge, Krabi, , Thailand.


                                                           HOMENAGEM AOS AMIGOS

 

EDITOR

A minha foto

Los que me conocen, saben quien soy...

Arquivo do blogue