AMIGOS DE PEIXES DESPORTIVOS DO MUNDO

sábado, 30 de julho de 2011

NAMORADO - Pseudopercis numida ( Miranda Ribeiro, 1903 )


FAMILIA: mugíloidideos

LONGEVIDADE: 30 anos

PROFUNDIDADE: 0 - 300m

COMPRIMENTO: 120 cm

PESO: 30kg


DISTRIBUIÇÃO: sudoeste do Atlântico, Rio de Janeiro até à costa de Santa Catarina, Argentina, e também em Uruguay.



BIOLOGIA: habita águas profundas do recife continental, sobre fundos de areia, embora também possa ser encontrado em fundos mistos de rocha e areia. Com uma grande cabeça oval e uma peculiar mancha castanha atrás das guelras o namorado tem como côr principal o castanho salpicado de tons violeta no dorso. Uma boca grande de lábios grossos que termina à altura dos olhos, devido a grande longevidade que atinge a sua maturidade sexual só é alcançada com mais de 5 anos de idade.  Grande lutador e apreciado troféu não só pela fantástica luta que dá mas principalmente pela saborosa carne. A sua pesca é bastante fructífera durante todo o ano, porém é no verão a época em que se dão as maiores concentrações de esta espécie e portanto quando se conseguem as melhores e maiores capturas. Com hábitos carnívoros, costuma ser muito agressivo principalmente durante o dia que é quando caça.

                                                                        Cortesia do:


ALIMENTAÇÃO: a base da sua dieta consiste em pequenos peixes, moluscos e crustáceos.


MÉTODOS DE PESCA: pesca embarcada, surfcasting, jigging.


VIDEO: a captura de um namorado.



RECORD IGFA: encontra-se em 1kg capturado por Tomás Felipe Restano no dia 26/04/2010 em Mar de la Plata, Argentina.


CURIOSIDADES: Uma antiga lenda Brasileira, identifica este peixe como o presente idóneo para a pessoa amada, diz a lenda que o pescador apaixonado quando capturava este peixe oferecia-o  à sua preferida e se o amor era mutúo ela cozinhava o peixe e convidava-o a jantar. Dando assim o começo ao namoro, de aí vem o nome de namorado.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

A PERCA DE LÁBIOS GROSSOS - Rhacochílus toxotes ( Agassiz, 1854 )


FAMÍLIA: embiotocídeos

LONGEVIDADE: ?

PROFUNDIDADE: 0 - 46 m

COMPRIMENTO: 47 cm

PESO: 2 kg


DISTRIBUIÇÃO: América do Norte.



BIOLOGIA: perca da rebentação é o termo normalmente utilizado pelos pescadores, para definir os peixes que se capturam em essa zona, este é o caso da perca de lábios grossos. Esta família compreende 21 espécies duas das quais surgem no Japão e na Coreia, das quais já comentarei mais tarde. As restantes encontram-se ao longo da costa do Pacífico da América do Norte. Encontra-se normalmente em fundos de rocha com mistura de areia, e junto a pilares de pontes ou outro tipo de construção que lhes possa dar abrigo. Desloca-se em cardumes salvo em raras ocasiões. O nome é sem dúvida o seu cartão de visita, nesta época em que a silicona é a rainha, é bonito ver que a natureza já se tinha adiantado à ciência à muito tempo. Como peixe desportivo é muito divertido, pois apesar do seu escasso tamanho as suas lutas são muito aguerridas, podemos comparar a sua luta à de um bom sargo que não exageramos nada.



ALIMENTAÇÃO: a base da sua dieta, é muito variada e inclui algas, invertebrados e peixe. Para a sua pesca utiliza-se muito pedaços de peixe, caranguejo, camarões, amêijoas e mexilhôes.

MÉTODOS DE PESCA: surfcasting, bolonhesa, inglesa, e em raras ocasiões à mosca.


RECORD IGFA: não existe record para esta espécie.


CURIOSIDADES: os machos das percas usam as barbatanas anais para transferirem o esperma para as fêmeas, que dão à luz alevins vivos.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O JAÚ - Paulicea luetkeni (Humboldt, 1821)


FAMÍLIA: pimelodídeos

LONGEVIDADE: ?

PROFUNDIDADE: 0 - 50m

COMPRIMENTO: 2m

PESO: 180kg


DISTRIBUIÇÃO:  Ámérica do Sul , Bacia amazônica, Araguaia-Tocantins, São Francisco, Prata e em algumas bacias do Atlântico Sul.


BIOLOGIA: mais conhecido como Jaú, o Zungaro jahu é um bagre da bacia amazónica de enormes proproções. É considerado um dos maiores peixes de água doce, é um peixe de respeito, os combates com este mastodonte chegam a durar horas. O seu corpo é grosso e curto; a cabeça grande e achatada. A côr varia do pardo esverdeado claro a escuro no dorso, mas o ventre é sempre branco. No estado de alevín a jovem apresenta pintas claras espalhadas pelo dorso, muito parecidas às famosas manchas do leopardo. É uma espécie depredadora apesar do seu aspecto de peixe lento; vive normalmente no leito do rio, principalmente nos poços criados pelas cascadas, local perferido para caçar especialmente ao aproveitar a subida do rio de outras espécies na época da desova. No sudoeste do Brasil a sua carne é muito apreciada, porém o resto de pescadores o que procuram neste peixe é a magnifica batalha que proprociona quando fisgado.


ALIMENTAÇÃO:  qualquer tipo de peixe do seu habitat, com uma clara preferência pelos curimbátas um pequeno characídeo. Também pode ser pescado com a famosa minhocuçu.


MÉTODOS DE PESCA: spinning, corrico, ao fundo, á bóia.


VIDEO: a extenuante captura de um Jaú de 80 kg.




RECORD IGFA: encontra-se em 49,440kg capturado por Russell Jensen no dia 31/01/2004 no rio Urariqueira, Amazônia, Brasil.


CURIOSIDADES: embora seja um caçador para a sua pesca é muito curioso verificar que o Jaú toma melhor os iscos que estão no fundo, e em particular à noite.

EDITOR

A minha foto

Los que me conocen, saben quien soy...